O objetivo deste estudo de Kees Biekant é apresentar uma descrição compacta do presente e futuro das políticas das ONGs européias para América Latina, como base para uma discussão que permita realizar atividades conjuntas entre ONGs latinoamericanas e européias.  

Durante la década pasada han tenido lugar en América latina algunos cambios que han afectado gradualmente las prioridades y las políticas de ayuda de la comunidad internacional de donantes. El impacto de la globalización, la crisis de la ortodoxia neoliberal (véase la crisis del peso en Argentina) y la respuesta popular a la privatización y al aumento de la desigualdad, han accionado toda una nueva agenda.

Contra la perspectiva de este contexto cambiante, en América Latina algunos creen que las agencias europeas de ayuda están alejándose gradualmente de la región.

Este documento geral delineia a política da ICCO, concentrada num número limitado de países, áreas de política e parceiros. Os documentos de orientação foram redigidos para uma das 3 áreas de política: Democratização e Construção da Paz; Acesso aos Serviços Básicos e Desenvolvimento Econômico Justo, baseadas nos princípios dos direitos humanos, de gênero e na relação da ICCO com os seus parceiros no sul. 

A ICCO define gênero como um conceito racional, referindo-se às normas e aos valores que governam as vidas e a conduta de homens e mulheres, resultando em relações de poder não igualitárias. Também implica numa divisão não igualitária e não honesta do status e fontes entre homens e mulheres. 

Nos últimos anos ficou patente que um enfoque baseado nos direitos humanos também deve estudar as repercussões das atividades dos países industrializados nas populações do Sul.

Este documento é um informe escrito para as Nações Unidas sobre o efeito da política Alemã nos direitos humanos sociais no Sul/ PIDESC Alemão.

Si bien la naturaleza de los derechos humanos es universal, las obligaciones respectivas de los Estados han sido principalmente tratadas como obligaciones frente a las personas en el territorio de un Estado de obligación vinculante. Esto facilitó a los países europeos y a otros la violación de los derechos humanos de las personas en sus países –ya sea en un contexto de guerra (Iraq) o en términos de "cooperación económica".

Este estudo de Christian Aid diz respeito à análise das oportunidades de financiamento para os parceiros brasileiros. A democratização do país e a aprovação da nova Constituição, em 1988, levaram ao aumento do potencial de áreas de intervenção das ONGs, ao aumento da demanda por seus trabalhos; contudo, também representou novos desafios em termos de efetividade, gerenciamento, credibilidade e “accountability”. 

Informe do Relator Especial sobre o direito a alimentação, Jean Ziegler. O Relator Especial apresenta seu quinto informe à Comissão de Direitos Humanos da ONU. Constam deste documento os informes sobre o exercício do direito a alimentação na Etiópia e Mongólia.

O informe apresenta a situação atual da fome no mundo, com destaque para situações especiais sobre o direito a alimentação  e iniciativas que foram bem sucedidas.

Neste documento a ICCO expõe, em grandes linhas, suas intenções políticas para intervenções relacionadas com o Brasil para o período 2005-2006. Neste texto a ICCO explica, entre outras coisas, como pretende trabalhar os temas políticos "Desenvolvimento Econômico Justo e Sustentável" (DEJS) e "Democracia e Construção da Paz" (P&D), além de apresentar a inter-relação da abordagem desses dois temas políticos.  

O documento Apresenta 7 estudos de caso sobre os efeitos da política alemã para os direitos humanos no Sul. Trabalha temas relativos a necessidade de fortalecer as obrigações extra-territoriais do Estado Alemão. 

Os países investigados são Equador, Paraguay, México, Israel, Chad/Camarões, Brasil e Índia.