Seja pela militância em movimentos políticos ou sociais, seja pela influência familiar, aos poucos as mulheres conquistam espaço na esfera máxima de poder na América Latina. Nos últimos 40 anos, 11 países do continente já experimentaram o comando feminino nas chefias de seus governos. A economista Dilma Rousseff, empossada no dia 1º de janeiro, é a 12ª mulher a ocupar o cargo de presidente ou primeira-ministra na região.

O artigo Monitoramento em Direitos Humanos no Brasil é resultado do Seminário sobre o tema, realizado Goiânia, de 04 a 06 de abril de 2005 e cujo objetivo foi construir referênciais metodológicas e de conteúdos para o monitoramento em Direitos Humanos , a partir do processo de elaboração de relatórios periódicos de monitoramento sobre a situação dos Direitos Humanos no Brasil, especialmente os Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (DhESCs).

O artigo a seguir, foi produzido a partir da Oficina sobre DESC no Fórum Social Mundial e assim como o título propõe, visa apresentar todo o processo de preparação do “Relatório da Sociedade Civil sobre o Cumprimento, pelo Brasil, do Pacto Internacional dos DESC”.

O artigo a seguir foi elaborado a partir dos resultados da oficina de DI e DO realizada, no ano de 2000 pelo regional Sudeste do PAD, quando se aceitou com facilidade a premissa de que as missões e os objetivos das entidades parceiras não podem ser alcançados por uma organização isoladamente e deve-se valorizar o planejamento em rede com o foco no desenvolvimento institucional, levando em conta o campo institucional.

O PAD reune nesta publicação bilingue a sistematização coletiva de três casos sobre os grandes projetos em andamento no Brasil: a Transposição do Rio São Francisco, o Complexo Hidrelétrico do Rio Madeira e ainda sobre o setor dos agrocombustíveis.

Nesses estudos, realizados por organizações parceiras do PAD, é possível se conhecer a historia, os conflitos, as dificuldades, recuos e incertezas, bem como a importância da mobilização social para alertar sobre os impactos nem sempre “modernizantes” destas empreitadas.

Conforme rege o compromisso assumido pelos países signatários do PIDESC, o Estado Brasileiro como Estado Parte do Pacto, apresentou no ano de 2007 o segundo relatório sobre o cumprimento do PIDESC ao Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais da ONU.  A partir do diálogo estabelecido com o Estado Brasileiro, o Comitê emitiu no ano de 2008 uma lista de questões ao Estado Parte na busca de respostas a várias questões e temas tratados no âmbito do relatório, questões estas respondidas pelo Estado Brasileiro, expressos via documento escrito e entregue ao Comitê

Entidades da sociedade civil e movimentos populares divulgam manifesto de lançamento de campanha nacional para mobilizar a sociedade na defesa e implementação do Programa Nacional de Direitos Humanos 3. Elas exigem a revogação do decreto presidencial que altera o PNDH-3.

Afinal, o mundo está no caminho de enfrentar dignamente o problema das mudanças climáticas? Boa pergunta, já que há alguns dias em Cancun os países participantes da Convenção da ONU sobre Mudanças Climáticas anunciaram um tímido acordo a respeito do tema. Considerado pela mídia comercial global como "avanço", o acordo de Cancun divide opiniões e absolutamente não é unânime. Há nele omissões imperdoáveis e novidades terríveis. Há também fragmentos de vitória da sociedade civil mundial na luta por justiça climática.