Faltando um ano para ser concluída a elaboração do acordo global sobre clima, cujo prazo é dezembro de 2015, a Conferência das Partes (COP) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática (CQNUMC), de Lima, é um momento chave de negociações. O acordo em discussão criará um regime internacional sobre o clima, determinando obrigações para os países-membro (as Partes) da CQNUMC, e entrará em vigor em janeiro de 2020. Neste debate alguns setores são priorizados, entre eles, o tema das florestas ou a redução do desmatamento e degradação florestal, considerado um “setor” onde as emissões de gás carbônico (CO2), que contribuem para a mudança do clima, podem ser reduzidas de forma mais rápida, mais barata e com benefícios para todos os envolvidos. Leia a edição especial do boletim Porantim sobre a economia verde.

Segundo a Agência Nacional de Águas, o volume consumido pela irrigação agrícola, indústria e mineração é mais do que cinco vezes maior do que o demandado para o abastecimento público. Além de reconhecer que estamos entrando com os dois pés em uma fase difícil do ponto de vista climático, é necessário iniciar uma profunda reflexão sobre os usos e abusos que damos aos recursos hídricos.

Entre 8 e 10 de dezembro, acontece no Retiro Assunção – Brasília (DF), a Plenária do Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração. Cerca de 130 pessoas de organizações sociais, comunidades resistentes, trabalhadores, quilombolas e indígenas estarão presentes.

Thousands of poor Brazilians are celebrating victory in a David v Goliath-style battle to be exempted from huge tax demands for land on which they have lived and worked for more than 100 years.

As redes entregaram uma carta de reivindicações a Ricardo Lewandowski, que se comprometeu a dialogar com movimentos sociais e organizações sobre demanda de maior participação social.

A Plataforma dos movimentos sociais pela Reforma do Sistema Político e a Articulação Justiça e Direitos Humanos - JusDH realziam em Brasília a Oficina sobre Política de Justiça: construindo estratégias para democratização do Sistema de Justiça.

Representando cerca de 50 povos de todas as regiões do país, mais de 100 professores indígenas, reunidos em Brasília para o Encontro Nacional dos Professores Indígenas, farão dois atos públicos nesta quarta-feira (29), no Palácio do Planalto e no Supremo Tribunal Federal (STF), pelo direito dos povos à educação de qualidade e diferenciada, pela retomada das demarcações das terras indígenas e pela nulidade de decisões recentes do STF que subtraem o direito dos povos a suas terras tradicionais. Notícia original no site do CIMI.

Após virada conservadora nas eleições, diretor do Inesc, José Antonio Moroni, teme estagnação da luta por direitos com ascensão conservadora no Congresso e vê mobilização como essencial para avançar nas pautas sociais.

O Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, realizado na Semana da Pátria, coletou 7.754.436 votos em todo o país. A proposta de reforma política obteve o apoio de 97% dos votantes, totalizando 7,52 milhões de pessoas. Confira entrevista exclusiva com Jose Antonio Moroni, para o site do PAD, sobre os próximos passos da mobilização.

Feito histórico de obter 7.754.436 votos, em todo o Brasil, a favor do Plebiscito Popular mereceu desprezo da mídia tradicional, o que não tirou a dimensão da nossa vitória.